Arquivo da categoria: Invencionice café-com-leite

Carta ao Diretor de Planejamento do Ser-Humano

Prezado Diretor,
É com o devido respeito que ouso infringir as regras do lá e cá com o envio da presente. O objetivo principal é propor humildemente cinco sugestões visando à ampliação dos limites e capacidades do ser-humano (SH). As mesmas poderão enriquecer seu repertório de perspectivas para a evolução do homem. E lá vamos nós.

Propostas de melhorias para o funcionamento do ser-humano

1 – Que o SH possua capacidade de teletransporte (velocidade da luz ou supersônica, preferencialmente).
Justificativa: Além de reduzir drasticamente o trânsito nas cidades, permitiria o aumento do dinamismo do ritmo de vida. Não perderíamos tempo presos na marginal Tietê, no túnel Zuzu Angel ou no Vidoca, que também já está bem complicado. Por outro lado, seria igualmente a ocasião para iniciar uma nova campanha motivacional de Zero Atraso (A/C Depto de Comunicação). Perder a cultura do atraso não seria uma verdadeira perda e tornaria os humanos mais educados.
Modelos: o teletranporte poderia ser feito a) por meio de cabines individuais compactas o suficiente para que possam ser transportadas no bolso da calça. Ao serem acionadas, abririam um feixe de luz/portal de deslocamento (se necessário, solicitar apoio ao Sr. Jobs, que deve estar por perto, e que criou aparelhos dessa dimensão); b) por uma espécie de TGV invisível, que funcionaria como as correntes marítimas, um protótipo que funciona entre os seres marinhos e que poderia ser perfeitamente adaptado ao modo de vida humano.

2 – Que o SH possa estar presente em dois lugares ao mesmo tempo.
Justificativa: reduziria o número de passageiros do TGV invisível, reduziria o número de ausências em eventos simultâneos, diminuiria o número de casos de tristeza e saudade, ao mesmo tempo em que aumenta o grau de praticidade da vida.
Modelo: Para moderar o número de duplicações do SH pela vida afora, evitando assim possíveis transtornos, cada um possuiria uma cota de duplicação a ser usada com parcimônia, aumentando o grau de responsabilidade do homem. Obviamente seria preciso melhorar o serviço de inteligência policial (A/C Depto de Segurança), visto que os álibis se multiplicariam em casos de delito.

3 – Que seja criado o DDA – Discagem Direta do Além.
Justificativa: A passagem entre os mundos, não raro, vem acompanhada de sérios rompimentos de relações e atividades. Senhas são perdidas, confissões deixam de ser feitas e os casos de incompreensão assombram quem por aqui fica. Um simples telefonema seria suficiente para sanar todos esses problemas, acalmar o sofrimento e ainda nos permitiria tirar algumas dúvidas, estilo: morrer dói? Existe turbulência na passagem de um mundo para o outro? O além é perfumado? Encontrou a vó? Entre outras.
Modelo: Uma única ligação 0800 a ser feita pela alma do além para qualquer aparelho telefônico da Terra. Duração da conversa: 15 minutos. E olhe lá.

4 – Que se possa experimentar a sensação do outro.
Justificativa: o SH vive usando a frase: imagina pelo que ele passou/ o que está sentindo. Mas raramente é possível imaginar ao certo o que se passa com o outro. Em casos mais suaves, a gente só não consegue imaginar. Mas há casos mais graves em que essa impossibilidade é fonte de discórdia e mesmo de algum tipo de guerra. Obter o poder de sentir o que os outros sentem não somente aumentaria nossa experiência sensorial do mundo, como também permitiria melhor compreender as razões do outro. Seria uma ferramenta útil para apaziguar situações de risco.
Modelo: Um fio de cabelo mais grosso poderia funcionar como uma memória USB, na qual estariam registradas as últimas sensações percebidas. Uma simples troca dessa memória entre um SH e outro permitira o intercâmbio de experiências. Simples, portanto.

5 – Que o SH seja dotado de bola de cristal.
Justificativa: Boa parte das cabeçadas que damos em Terra é causada pela impossibilidade de prever o futuro. Ter acesso a esse futuro (pode ser apenas o imediato) permitiria não somente evitar a perda de tempo em ações desnecessárias, como também, numa esfera de maior importância, melhorar o sistema de prevenção de doenças. Também viveríamos melhor os dias que temos disponíveis, ao ter a morte num horizonte visível.
Modelo: Não precisa ser uma bola propriamente dita, pode ter outro formato. Mas se for bola, poderia ser um aparato instalado atrás da retina. Nossa visão seria semelhante à maneira como o Homem de Ferro enxerga o mundo. Dados precisos sobre um futuro determinado apareceriam em nossa visão, oferecendo informações sobre as consequências de determinada escolha.

***

Com esses aparatos, o SH estaria apto a viver melhor sua travessia terrestre.
Mas se a finalidade da passagem do SH pela Terra for realmente o camelar, o modelo atual se enquadra com perfeição nesse objetivo.
Esperando que minhas sugestões tenham sido úteis e que possam ser aplicadas num futuro próximo (amanhã está bom, ou na próxima segunda), agradeço sua atenção.

Camila Teixeira

Anúncios
Etiquetado , , , , , ,

O amor existe

Eu morro de vergonha de contar isso, mas o Flávio, o menino que senta lá no fundo da sala, gosta de mim. Eu não gosto que ele goste de mim. Primeiro por que não sei. Segundo, ele fica me olhando o tempo todo. Não dá nem para tirar uma meleca do nariz em paz. Terceiro, ele é lindo e eu tenho que fingir que ele é feio. Se as meninas descobrem o que eu penso de verdade sobre ele, vão fazer piada comigo toda vez que ele passar pela gente.

Quando o Flávio está por perto, finjo que não o vejo. Mas ele sempre me cutuca. Eu gelo na hora. Respondo oi olhando para o chão e saio de perto correndo. Não quero que falem que ele é meu namorado. Mas eu queria que ele fosse. Ele é o menino mais tudo que já conheci.

Imagina ganhar um beijo dele? Seria o contrário do que aconteceu com a Bela Adormecida. Ao invés de o príncipe me acordar do sono profundo, eu cairia dura no chão depois de receber seu beijo. Esse é o meu pesadelo, viver o avesso do conto de fadas. Ou pior. E se depois de me dar um beijo ele descobrir que não gosta de mim? Isso sim seria o fim, estar apaixonada por alguém que não quer nada comigo.

Por isso eu prefiro tudo do jeito que está. Ele lá no fundo da sala e eu aqui, bem longe. Pelo menos assim eu sei que o amor existe.

 

 

Camila Teixeira

 

Etiquetado , ,